quinta-feira, 17 de novembro de 2011

"Às vezes o amor dura, mas, às vezes, fere"

Eu ouvi dizer que você está estabilizado, que você encontrou uma garota e está casado agora,eu ouvi dizer que os seus sonhos se realizaram,acho que ela lhe deu coisas que eu não dei.Velho amigo, por que você está tão tímido? Não é do seu feitio se refrear ou se esconder da luz,eu odeio aparecer do nada sem ser convidada,mas eu não pude ficar longe, não consegui evitar.Eu tinha esperança de que você veria meu rosto,e que você se lembraria,de que pra mim não acabou.
Deixe para lá, eu vou achar alguém como você,não desejo nada além do melhor para vocês dois,não se esqueça de mim, eu imploro,vou lembrar de você dizer:  
"Às vezes o amor dura, mas, às vezes, fere"
Você saberia como o tempo voa,ontem foi o momento de nossas vidas,nós nascemos e fomos criados numa neblina de verão,unidos pela surpresa dos nossos dias de glória.
Eu odeio aparecer do nada sem ser convidada,mas eu não pude ficar longe, não consegui evitar,eu esperava que você veria meu rosto,e que você se lembraria,de que pra mim não acabou.
Nada se compara, nenhuma preocupação ou cuidado,arrependimentos e erros, são feitos de memórias,quem poderia ter adivinhado o gosto amargo,que isso teria?

2 comentários: